quarta-feira, 19 de março de 2014

Psicografia: A árvore da vida!



"A árvore da vida é cheia de frutos, uns bonitos e vistosos, outros doces e suculentos ao paladar. Você os devora com uma veracidade que te enche de alegria e motivação. Esses melhores frutos são os mais escassos e se encontram nos galhos mais altos, portanto o esforço para alcançá-los é muito maior. Você se estica até o limite e, por muitas vezes, não os alcança. Pensa com todas as forças do seu ser: Como a vida é injusta por colocar a tentação tão próxima, tão à vista, mas ao mesmo tempo fora do seu alcance. Enquanto isso, outras pessoas de estatura maior os alcançam. E você assiste a sua glória ao se deliciarem com o fruto que queria, mas não conseguiu.
Ao fixarem seus pensamentos na sua aparente derrota, invejando e desejando a vitória do próximo, muitas vezes vocês fecham os olhos para todas as outras coisas a sua volta. Não percebem a perda de tempo ao se queixarem e questionarem tanto da vida, enquanto podiam estar fazendo algo a respeito disso.
Se olhares ao redor, poderão ver pessoas menores que vocês mesmos, por muitas vezes, alcançando frutos mais distantes que todos os outros. Utilizando por artifícios através da boa vontade e do trabalho, para conquistar o que eles querem, manejando martelos e pregos para construir escadas, subindo em pedras que foram colocadas em seus caminhos e as utilizando para algo produtivo para si. Enquanto isso, você está lá, se esticando... esticando... e reclamando da sua falta de estatura.
Poderás perceber também que em grande parte, as pessoas devoravam os frutos imediatamente à medida que os alcançavam. Outros os guardavam em suas bolsas para comê-los depois...
Ao seguir o seu caminho e pegar a estrada, via algumas dessas pessoas que alcançaram os frutos e os devoravam, sentados à beira da estrada, famintos e sem outra fonte de alimento por perto. Em sua ganância pensaram no agora e esqueceram que para todos há um futuro e ele chega sem permissão e, muitas vezes, os atropela sem piedade.
Já aqueles que guardaram o que conseguiram, depois de passar a forme, continuaram o caminho tranquilamente, pois souberam esperar, foram pacientes e inteligentes.
O mais importante a ser dito é que ninguém precisa nascer tendo todas as respostas, sabendo tudo o que deve ser feito. Nem todos reencarnam com informações necessárias ou a força de que precisam no começo. Não saber, não conseguir, faz parte da jornada. O importante é não persistir no erro. Olhar em volta, observar os outros, aprender com as lições dos outros para que talvez não precise passar pelo mesmo. Ter paciência, usar a calma ao seu favor e nunca parar de caminhar, mesmo com as pernas cansadas, com sede ou fome. Mais à frente, sempre haverá uma nova fonte para que se nutra, para que consiga o que precisa depois de ter aprendido com seus erros e observando os outros, e assim juntar mais forças e informações para continuar a jornada.
Observar é aprender e às vezes é muito mais válido do que cair em erro para aprender.
Olhos abertos, mente aberta, forças nas pernas e boa viagem!

(Carmelita Imbuzeiro da Fonseca)

Nenhum comentário: